na irlanda
Valmir Terezani Garcia e sua mulher, Elaine Garcia

Valmir Terezani Garcia, de 56 anos, publicitário e jornalista, sua mulher, Elaine Garcia, de 54, esteticista, e Marcelo Damasceno Barreto, 59 anos, chefe de cozinha, estão morando atualmente na Irlanda. Os três fazem parte de um universo de brasileiros que só cresce a cada dia na Ilha Esmeralda: a migração dos cinquentões. Marcelo chegou na Irlanda sem saber nada de inglês, mas com muita vontade para aprender. No Brasil, foi sócio de alguns restaurantes e nos últimos cinco anos comandou a cozinha de um restaurante de comida italiana. Valmir tem uma empresa de eventos de corrida e é jornalista aposentado e a mulher Elaine trabalha como esteticista. O casal migrou para a Irlanda para ficar mais próximo do filho, que é morador local desde 2014.

“Vim para cá sozinho, estou aqui há 1 ano e 6 meses. Nunca havia saído do Brasil, então, é complicado os primeiros meses de adaptação. Mas temos que perseverar. Queria muito aprender inglês e conhecer novos lugares e culturas. Estar aqui está sendo uma experiência única e transformadora. Aqui temos alguns percalços: frio, vento e agora nos últimos meses a pandemia, além de ter muitos drogados pelas ruas. Mas, enfim, este tipo de coisa tem em qualquer lugar. A cidade é linda, os pubs são os melhores do mundo. Aqui se vive bem quando se fala em comprar comida. Em mercados, não é caro, comer e beber fora acaba sendo mais. Violência também é bem reduzida, nunca tive problemas aqui, diferente de onde venho, que é o Rio de Janeiro. Iria agora em setembro para Portugal. Já havia um emprego e moradia, mas a pandemia acabou adiando os meus planos, então só irei agora no ano que vem. Aqui, estudo e trabalho e nos dias de folga sempre saio para passear nos parques, praias, museus, castelos e sair com os bons amigos que fiz aqui”, contou Marcelo.

irlanda
Marcelo num dos seus momentos de folga na Ilha

“A vinda para a Irlanda não foi tarefa fácil, muitos planejamentos, muitas decisões, despedidas. Deixamos também nossos gatinhos e nossa casa em Águas de Lindóia. Neste planejamento tivemos que vender nosso carro, todos os móveis da casa. Inclusive, a casa está a venda”, afirmou Valmir. “A ideia de irmos para a Irlanda surgiu exatamente da saudade do nosso filho que já é cidadão europeu, italiano, e mora aqui desde 2014. Nossa primeira vinda para cá foi em 2016 para visitá-lo e de lá para cá tinha sido só saudades”. Valmir disse que as mudanças foram bem radicais. E ainda estão na fase de adaptação. Chegaram na Irlanda no final do ano passado. “Antes mesmo de deixar o Brasil passamos por muitos procedimentos burocráticos, documentação e acabei deixando de realizar meus eventos. Aqui, trabalhamos durante a semana e aproveitamos os finais de semana para fazer caminhadas nos parques e alguns passeios. A experiência de vida para nós, sem dúvida, é a melhor possível. Quase tudo é novidade, outras culturas, costumes. Até dirigir um carro na mão contrária (risos). Já curtimos até um show do Rod Stewart, que era um dos nossos sonhos, entre outros, como patinação no gelo, fomos conhecer o maior parque urbano da Europa, Phoenix Park, alguns pubs e a magnífica praia de Dun Loaghaire”.

Mas, segundo Valmir, existem alguns fatores não tão positivos, entre eles a burocratização dos irlandeses. “Não poderia deixar de comentar da parte burocrática da Irlanda. Obter documentação em outro país, como conta bancária, PPS, depender dos serviços de imigração e outros benefícios não é nada fácil. Precisa tomar muito cuidado ao preencher qualquer formulário, não confiar nunca no atendente e sim com a sua revisão final antes de enviar qualquer solicitação. Outra coisa é que aqui eles não possuem muito o costume de ler e-mails. Minha dica é sempre que puder usar telefone como forma de comunicação direta”. E assim como Marcelo, o casal também planeja migrar para Portugal num futuro próximo. “Pretendemos ficar por aqui por algum tempo, fazermos algumas viagens e seguir para nossa nova moradia que será em Portugal. Esses são nossos planos”, finalizou Elaine.

Henrique Fernandes é jornalista e mora na Itália. [email protected]

Leia mais

Conheça histórias de brasileiros que após os 40 largaram tudo no Brasil e foram morar na Irlanda

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*