irlanda

A baiana Daiane Valentim, de 38 anos, tinha como planos para o seu futuro morar fora do país desde muito jovem. Ao lado do marido, Augusto, foi para a Irlanda em 2012, mas por um acaso do destino precisou adiar momentaneamente sua missão. Foi chamada para voltar ao Brasil urgente. Seu pai tinha sido vítima de um assalto e acabou morto. Retornou para Salvador e ficou ao lado da mãe até 2015. Nesse tempo todo estudou, fez cursos e entrou de cabeça no mundo da culinária. E foi em 2015 que abriu seu primeiro negócio, na Bahia. Fazia brigadeiros sob encomenda e o negócio deu tão certo que começou a vender até para outras cidades e estados. O sonho de migrar ainda estava vivo na cabeça do casal, quando eles decidiram retornar para a Irlanda, como estudantes, em 2017. Daiane trabalhou em restaurantes e fazia brigadeiros em casa, nas horas vagas, principalmente na madrugada. O sucesso continuava e ela chegou até a levar brigadeiros para outros países, como Itália, Portugal e Dinamarca. “O projeto inicial era ter ido para o Canadá, mas as regras de imigração mudavam a cada ano e ficava cada vez mais difícil. O visto de estudante estava para vencer e descobri que tinha engravidado, então a Espanha era o novo destino. E após a mudança toda de planos, houveram lutas, altos e baixos, até poder sair do restaurante em que eu trabalhava para montar minha loja no exterior, exatamente em A Coruña. “Cansei de trabalhar para os outros”, afirmou a proprietária da Valentim Brigadeiro Gourmet.

Daiane estudou administração e turismo e também é formada como cozinheira. Ela tem dois filhos, o pequeno Augusto Valdir, de três anos e a filha, Iris dos Anjos, de 18 anos. A sua loja física vende, além dos deliciosos brigadeiros, tortas, chocolates, sobremesas e salgados brasileiros. Ela é a primeira brasileira a abrir um negócio do gênero na cidade espanhola e tem atraído uma clientela diversificada. “A aceitação tem sido boa. Desde clientes espanhóis, peruanos, venezuelanos, cubanos, dominicanos. Muitas empresas estão fazendo encomenda também”.

Antes de abrir seu negócio, Daiane trabalhou em vários restaurantes na Irlanda e na Espanha. “Aprendi muito nesse período e pude testar muitas receitas e jeitos de fazer as minhas comidas. Nesse tempo todo conheci muitos brasileiros e vejo que meu negócio cresceu muito por causa da propaganda dos próprios clientes, o famoso boca a boca”, afirmou a empresária que abriu a loja no dia 8 de março de 2021. “A data é simbólica para mim. O Dia das Mulheres para mostrar que eu sou mulher, sou forte, sou guerreira e que a coisa vai dar certo”, afirma Daiane que conta que foi chamada de louca por abrir sua loja num momento delicado, com a pandemia da Covid-19. “Estudei muito para abrir. Sabia que iria dar certo. Temos vários clientes, cafés e outras lojas que retiram nosso produto e revendem. Está fazendo sucesso graças a Deus”.

O conselho que ela dá para quem quer migrar é conhecer o idioma. “Se eu fosse fluente em espanhol as coisas teriam acontecido bem antes comigo. Falo sempre para as pessoas estudarem antes de viajar. Conheçam a língua, fazem cursos. Eu fiz um curso de administração aqui na Espanha para aprender a tocar o meu negócio. Fiz pela Junta da Galícia que me ajudou muito. E, claro, ter força de vontade, fé e positividade sempre”.

Os doces mais pedidos na loja são os brigadeiros, o tradicional de chocolate amargo, e os de nozes, coco, chocolate branco, churros, creme de maracujá, blosons de morango, amêndoas e café. E na loja o cliente encontra os tradicionais bolos de festa, como Prestígio (chocolate e coco) e Sensação (morango, leite condensado e chocolate).

Leia mais

Aos 24 anos, confeiteiro de Limeira abre sua fábrica de delícias na Irlanda

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*